Saúde realiza Conferência Municipal | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Saúde realiza Conferência Municipal

Saúde realiza Conferência Municipal

Conferência da Saúde 1 Conferência da Saúde 5

Tendo por local o plenário da Câmara de Vereadores foi realizada na semana que passou (11), a 8ª Conferência Municipal da Saúde com o tema “Saúde e Democracia”, sendo palestrantes a Promotora Pública, dra. Graziela Veleda e a Secretária adjunta da Saúde do Estado e Primeira Dama Aglaé Regina da Silva. O evento foi aberto pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde Marcos Linden.
O vice-prefeito José Francisco Ferreira da Luz disse que aquele era o momento ideal para discussão do que queremos para nossa cidade na área da saúde pública. O secretário municipal da Saúde Joy Silva, a Primeira Dama e o presidente da Câmara Rodrigo Massulo iniciaram a apresentação dos eixos.
Graziela Veleda em sua fala, chamou a atenção para a importância da prevenção em saúde como ferramenta para redução de ações judiciais. Disse que as demandas são apresentadas para os Municípios e o atendimento nem sempre atrelado à capacidade financeira da gestão. Ela destacou também a importância do trabalho em rede, com a integração dos mais diversos setores, pois segundo ela, “a saúde está em quase todas as áreas”. Citou o exemplo da segurança, referindo-se especialmente a drogadição, que hoje é um problema de saúde pública.
Já Aglaé Regina abordou os eixos “Consolidação dos Princípios do SUS” e “Financiamento Adequado e Suficiente para o SUS”. A secretária adjunta da Saúde do RS falou sobre a dificuldade dos governos em repassar valores em dia e em atender as especialidades nos municípios em função da falta de recursos. Ela alertou que com a Emenda Constitucional 095/2016, os recursos para Saúde e Educação estão congelados até 2036 e que isso exige ainda mais economia e adequação da aplicação dos investimentos. Disse ainda que existe uma regulação do Estado que regionaliza o atendimento de especialidades, citando o caso da obstetrícia. “O município perdeu a referência há alguns anos porque deixou de realizar partos. O Estado então passou este serviço para o Município de Osório. Hoje, Osório recebe para realizar este atendimento, assim como nós somos para Oftalmologia. Com a vinda da Santa Casa, Santo Antônio voltou a lutar para ter a obstetrícia no município”, explicou. Nesse sentido Aglaé aproveitou para lembrar a gestão compartilhada da Saúde, que deve contar com o uso responsável dos serviços. “Os municípios recebem cotas para atendimentos de acordo com a demanda que apresenta. Por isso, é tão importante evitar o absenteísmo”, afirma.
Na parte da tarde a programação incluiu formação de grupos e apresentação dos trabalhos e escolha dos delegados desta edição.
Usuários titulares: Arly Maria de Assis, Anália Maria Vieira de Carvalho, Vera Maria de Assis Mohr, Nara Terezinha Menezes Diedrich;
Suplentes: Marcos Augusto Linden e Daiane de Oliveira Jaques;
Trabalhadores da Saúde titulares: Ana Ivani Moraes e Leila de Oliveira Santos;
Suplente: Jane Castro Ramos Machado;
Gestão/prestadores de serviços: Silvia Regina Ceccato e Rosimeri da Silva Nunes;
Suplente: Eva de Fátima Silva Oliveira.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *