Dirceu quer maior segurança para as comunidades do interior | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Dirceu quer maior segurança para as comunidades do interior

Dirceu quer maior segurança para as comunidades do interior

A criminalidade está se tornando recorrente no interior de Santo Antônio da Patrulha. O abigeato (crime de furto que envolve a subtração de animais de carga e/ou para abate, no campo e fazendas) já é preocupação frequente de moradores das comunidades mais afastadas do centro da cidade. Pensando nisso, o vereador Dirceu Machado, refez um pedido antigo, direcionado à Secretaria de Obras, Trânsito e Segurança para que seja feita uma mobilização como forma de municiar estas localidades.
Machado sugeriu que a SEMOT, em conjunto com o Conselho de Segurança do município, a Delegacia de Polícia Civil, Polícia Militar, PATRAM e todos os envolvidos nesta área, possam encontrar meios de organizar essas localidades, informando-os de como agir em situações suspeitas. O edil recomendou que possam ser feitas palestras com os habitantes para que eles criem uma rede de apoio e informação, entre moradores e polícia. “Se alguém ver algo estranho ou suspeito, pode comunicar os vizinhos e as autoridades para evitar roubos ou furtos. É uma forma de tentar diminuir ou combater estes crimes”, completa.
Há 15 dias, um produtor da localidade de Tapumes teve 27 animais levados de sua propriedade. Uma semana atrás, o furto ocorreu nas Barrocadas, onde um agricultor teve suas vacas de leite roubadas, ficando sem o seu instrumento de trabalho para tirar o sustento de sua família. “Esses crimes deixam os produtores sem condições de trabalho e as comunidades do interior estão muito descobertas de segurança”, completou Dirceu.
O vereador ainda disse, na tribuna da 18ª Sessão Ordinária da Câmara, que é quase impossível que alguém não veja um caminhão estacionando em uma mangueira e carregando dezenas de animais para dentro de um veículo tão grande. Mas, talvez na inocência dos moradores, ninguém pensa no pior, o que leva ao aumento deste tipo de crime nestas comunidades. Uma rede de comunicação entre eles seria de grande valia para a segurança e união da comunidade em prol do combate a estes delitos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *