Abigeato: Poderes Públicos se unem aos produtores na busca de soluções | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Abigeato: Poderes Públicos se unem aos produtores na busca de soluções

Abigeato: Poderes Públicos se unem aos produtores na busca de soluções

Abigeato 1

O abigeato tem aumentado a preocupação dos criadores de gado da região. Não é diferente em Santo Antônio da Patrulha, onde a Polícia faz o possível para proteger os pecuaristas, que são prejudicados pela ação dos ladrões de gado que agem durante à noite. Não têm sido poucas as tratativas nesse sentido junto aos órgãos de Segurança para aumentar o número de policiais tanto na Civil, como na Brigada Militar. Essa preocupação provoca a mobilização dos Poderes Públicos, Câmara de Vereadores, Prefeitura Municipal e Ministério Público que se aliam aos criadores na busca de soluções que freiem a ação dos criminosos. Além do prejuízo financeiro, existe também a preocupação com a saúde pública, porque não se sabe onde a carne está sendo abatida, sem qualquer inspeção, termina sendo colocada para venda ao consumidor. Tem sido alcançado algum sucesso nas ações da Polícia, mas é importante que a tranquilidade volte aos campos.
A mais recente reunião ocorreu na Prefeitura Municipal, quando o prefeito Daiçon Maciel da Silva, o presidente da Câmara Vereador André Selistre, o Ministério Público (Promotora Graziela Veleda), a Polícia Civil (Delegado Valdernei Tonete), Brigada Militar (Sargento Oliveira), Farsul (Ten. Cel. Jerônimo Barbosa), Patram (Comandante Juares Matias), Sindicato Rural (Jorge Dutra), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (Samuel Santos), produtores rurais, Secretário Municipal da Agricultura e outras lideranças voltaram a sentar à mesa para discutir soluções.
O Presidente da Câmara de Vereadores André Selistre informou que iria entrar em contato com a empresa EGR e CONCEPA para estudar a viabilidade destas empresas instalarem câmeras de monitoramento em pontos estratégicos, que estão servindo de rota de fuga para esses criminosos. O vereador acredita que essa medida pode colaborar nas investigações a fim de prender esses indivíduos, destacou que essas empresas podem colaborar com o Município, já que algumas rotas de fuga usadas por esses criminosos são de concessões da CONCEPA e EGR, assim, não criando custos para Santo Antônio. André, também lembrou aos presentes que no Plano de Governo do Prefeito consta a criação da Guarda Municipal, destacou que essa medida, após ser colocada em prática poderia dar um apoio importante para a Brigada Militar no combate a esses crimes.
Enquanto a Brigada Militar expõe a dificuldade em combater esse tipo de crime em virtude do efetivo não ser suficiente, na Polícia Civil Tonete destaca haver apenas um agente na investigação para atender toda a demanda e se ele for deslocado para o plantão 24 horas a investigação vai paralisar.
Tonete apresentou números: entre janeiro a agosto do ano passado, foram 34 ocorrências desse tipo com o furto de 77 animais. Este ano, em igual período, o número de ocorrências e de animais levados pelos ladrões diminuiu: foram 18 registros e 55 cabeças de gado furtadas. Chicolomã lidera com o número de furtos: foram três, seguido de Tapumes, Taquaral, Portão I, Aldeia Velha, Morro Grande e outras localidades com índices menores. Somente de um criador em Tapumes, foram levados 12 animais numa única noite. Em Chicolomã um pecuarista perdeu quatro de uma só vez.
Os moradores das localidades mais atacadas pelos criminosos se colocaram à disposição para ajudar, inclusive financeiramente, aos órgãos de Segurança, no patrulhamento nessas localidades a ser feito durante a madrugada. Na mesma linha solicitaram a Prefeitura, para que a mesma realize uma campanha publicitária informando dos malefícios de comprar carne sem a devida procedência.
O Prefeito Municipal informou que vai solicitar ajuda da Vigilância Sanitária Estadual, para fazer uma varredura nos comércios da região, principalmente no Litoral Norte, local apontado como possível destino da carne, já que também termina sendo um problema de saúde pública.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *