Noiva da Lagoa: IGP divulga dados sobre perícia de fato ocorrido na década de 40 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Noiva da Lagoa: IGP divulga dados sobre perícia de fato ocorrido na década de 40

Noiva da Lagoa: IGP divulga dados sobre perícia de fato ocorrido na década de 40

Na semana que passou, o Instituto Geral de Perícias tornou público os laudos periciais relacionados com a morte de Maria Luiza Haussler (17 anos), estudante de Artes e que teria sido morta em 17 de agosto de 1940, portanto, há 79 anos.
A publicação dos laudos ocupou dois volumes encadernados, e que haviam sido encontrados quando estavam para serem destruídos, isto aconteceu no Palácio Piratini, marcando os 22 anos de fundação do Instituto Geral de Perícias.
O FATO
No dia 26 de abril do ano passado, a Folha Patrulhense havia divulgado ampla matéria a respeito desse episódio que movimentou a crônica policial da época.
Lembrando: O namorado Heinz Werner João Schmelling, 19 anos, corroído pelo ciúme por tê-la visto dançando com outros jovens, pois era o baile de escolha da rainha dos estudantes, ao ver isso, a convidou para sair e no carro do padrasto dele, teriam começado a discutir e seria no Morro do Mont’Serrat que ele teria assassinado a namorada, que já havia manifestado desejo de terminar o namoro com ele.
De acordo com que a investigação da época apurou, ele levou o corpo da jovem pela ERS-030 e muito provavelmente na altura da localidade de Venturosa, teria tentado encontrar um local para enterrar o corpo, mas desistiu, continuando o trajeto até a Lagoa dos Barros, quando então teria amarrado os pés de Luíza com o próprio casaco da jovem e amarrado um arame ao seu pescoço, onde estavam dois tijolos que teriam sido retirados de uma construção em Porto Alegre. Em seguida, jogou o corpo da jovem na água, na altura da localidade de Lagoa dos Barros, e conforme a descrição, teria acontecido logo abaixo da igreja católica ali existente.
Pessoas da época contam que ainda em Venturosa, na tentativa de retirar o corpo do carro, teria caído uma bolsa pertencente à jovem, fato que posteriormente teria sido confirmado.
Ele, para simular tentativa de homicídio por parte de Luíza, teria desfechado um tiro de raspão no peito após tê-la alvejado no lado esquerdo do peito, na altura do coração, o que ocasionou sua morte instantânea.
Acusado de homicídio foi condenado e alguns anos depois foi posto em liberdade, tendo se mudado para o Rio de Janeiro, onde faleceu. Durante toda a vida, continuou negando o assassinato.
NA RBS TV
Uma matéria relacionada com a lendária ocorrência e seus desdobramentos, foi divulgada na semana passada, pela RBS TV no Jornal do Almoço.
A lenda em torno da morte de Luíza rapidamente se espalhou. Muitos relatam terem visto uma mulher vestida de noiva, e que aparece de vez em quando para os passantes, inclusive, embarcando em veículos pretendendo com eles, seguir viagem.
O que pessoas não contam, é como reagiram quando viram que se tratava de uma aparição…




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *