Bombeiros esclarecem sobre PPCI | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Bombeiros esclarecem sobre PPCI

Bombeiros esclarecem sobre PPCI

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar Tenente Joel Cardoso concedeu entrevista falando a respeito dos procedimentos sobre liberação de edificações para a realização de eventos, incluindo a mudança de última hora do local para a realização do galeto do Lar Oscar Vargas que deveria ter ocorrido na Sede dos Caminhoneiros, mas que terminou sendo transferida para o Salão Paroquial da Cidade Alta.

FOLHA PATRULHENSE: Qual o motivo que levou o CBM a não autorizar a Sede dos Caminhoneiros para sediar o evento do Lar Oscar Vargas?
TENENTE JOEL CARDOSO: Foi o não cumprimento da legislação de Prevenção e Proteção Contra Incêndio, que fez com que não pudesse ter o evento no local, cabendo apenas ao CBMRS fazer com que se cumpra o estabelecido na legislação vigente. Cabe salientar que o CBMRS estava aguardando desde a data de 23/04/2018, que os responsáveis pela edificação solicitassem a vistoria ordinária da edificação para liberação do Alvará de Prevenção e Proteção Contra Incêndio.

FOLHA: Como tem sido a condução da liberação das licenças, pois todos sabemos que tem havido bastante rigor e certamente a causa principal, é dar segurança para que não se repitam episódios como a lamentável tragédia da Boate Kiss?
COMANDANTE: A condução das análises e vistorias são calçadas nos princípios da administração pública (Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência). Os PPCIs são analisados e vistoriados em ordem cronológica de protocolo, conforme preconiza a legislação vigente.

FOLHA: Recentemente também o Sindicato Rural teve que adiar eventos pelo mesmo motivo. Como está a situação daquela entidade hoje em relação ao que é exigido pelo CBM?
COMANDANTE: Foi o não cumprimento da legislação de Prevenção e Proteção Contra Incêndio, que fez com que não pudesse ter o evento no local. Da mesma maneira, cabe salientar que desde a data de 11/04/2019, o CBMRS aguardava a solicitação de vistoria por parte do responsável pela edificação. A qual foi solicitada apenas na data de 25/06/2019, sendo realizada vistoria ordinária no Parque de Rodeios foi constatado, diversas irregularidades em relação ao Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) aprovado pelo CBMRS, assim como deficiência e precariedade de proteção e funcionalidade das instalações elétricas, já nas estruturas foi constatado manifestações patológicas como fissuras, rachaduras, exposição de armadura e deformações em vigas e pilares. O Corpo de Bombeiros emitiu uma Notificação de Correção de Vistoria e aguarda os responsáveis pela edificação darem andamento ao (PPCI).

FOLHA: Há muitos pedidos de liberação de locais em análise pelos Bombeiros?
COMANDANTE: Em média são analisados aproximadamente de 60 a 70 Planos de Prevenção e Proteção Contra Incêndio mês (físicos e online), após o protocolo a demora é em média 10 dias úteis, cabe salientar que a legislação prevê o prazo de até 90 dias para realização das análises.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *