Anunciados os vencedores do 29º Prêmio Jovem Cientista | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Anunciados os vencedores do 29º Prêmio Jovem Cientista

Anunciados os vencedores do 29º Prêmio Jovem Cientista

Estudantes, pesquisadores e instituições de ensino abordaram o tema “Inovações para Conservação da Natureza e Transformação Social”

 

Criado em 1981, o Prêmio Jovem Cientista reconhece estudantes, pesquisadores e instituições de ensino que buscam enfrentar os desafios do país. O anúncio foi feito nessa terça-feira (30/10), em Brasília, onde a osoriense Juliana Davoglio Estradioto, do Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul, campus Osório, conquistou o primeiro lugar da categoria Ensino Médio. Seu projeto, “Desenvolvimento de um filme plástico biodegradável a partir do resíduo agroindustrial do maracujá”, teve duas motivações: o excesso de restos orgânicos gerados pelo cultivo do maracujá-amarelo, causando acúmulo de lixo e contaminação do solo, água e lençol freático; e o impacto da produção mundial de plásticos no ambiente – estudos estimam que em 2050 haverá, em peso, mais plástico do que peixes nos oceanos.
“Conversei com minha professora orientadora sobre meu interesse em trabalhar com os agricultores familiares da minha região, já que meu pai é engenheiro agrônomo. O maracujá, depois de processado, gera 60% de resíduo, que são as cascas. Elas são descartadas no meio ambiente, por isso, comecei a estudar para buscar uma solução para esse problema ambiental da minha região”, explica Juliana. Com a aplicação do método “casting”, de criação de embalagens comestíveis, a estudante conseguiu reutilizar o resíduo do maracujá.
A categoria Mérito Institucional premiou duas instituições, dos ensinos Médio e Superior, que inscreveram o maior número de trabalhos qualificados com mérito científico para o prêmio. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) conquistou a primeira posição no Ensino Superior. “O prêmio é um reconhecimento a todo o trabalho que a instituição vem fazendo através das pesquisas de seus alunos e professores. Acredito que a Ciência é importante nos âmbitos sociais e humanos, trabalhando para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, fala Jane Tatikan, vice-reitora.

Ensino Médio
1º lugar: Juliana Davoglio Estradioto
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)
Osório – RS

Desenvolvimento de um filme plástico biodegradável a partir do resíduo agroindustrial do maracujá.
A partir da casca do maracujá, a estudante Juliana Davoglio Etradioto desenvolveu um filme plástico biodegradável (FPB) para substituir embalagens de mudas de plantas, que geram alta quantidade de resíduos na agricultura. A inovação reduz a poluição causada pelos sacos plásticos convencionais, se decompõe em 20 dias e não precisa ser retirada no momento do plantio.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *