Caminhoneiros realizam manifestação na ERS-118 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Caminhoneiros realizam manifestação na ERS-118

Caminhoneiros realizam manifestação na ERS-118

Caminhoneiros realizam manifestação na ERS-118

Dezenas de caminhoneiros realizam uma grande manifestação às margens da ERS-118, nas proximidades do posto Radar, em Gravataí, desde a última quinta-feira (24). A nossa reportagem esteve no local, no início da tarde de ontem, e conversou com alguns manifestantes. Nenhum deles indicava um líder.  Todos falavam se tratar de um movimento popular, aberto à comunidade, sem participação de partidos políticos.

“Tá vendo aquela bandeira lá? Aqui é um movimento do povo brasileiro”, enfatizava o caminhoneiro Flávio Batisti, 54 anos, ao apontar para a grande bandeira do Brasil hasteada com um guindaste no local da manifestação. Entre as reivindicações, o fim da corrupção e a redução dos impostos, não somente para o diesel (anunciado pelo presidente Temer na noite de domingo), mas para o etanol e gasolina.

“Tem que ajudar o povo. A petrobras não é nossa? Então tem que baixar [o preço dos combustíveis]”, declarou Batisti, que é caminhoneiro há três décadas. Segundo ele, entre 60% e 70% do valor do frete é gasto com combustível e pedágio, fora gastos com alimentação e manutenção dos veículos. “Não tem condição de trabalhar assim”, enfatizou.

O trânsito no local fluía sem nenhuma dificuldade e as buzinadas de motoristas que passavam pela rodovia, em apoio aos caminhoneiros, eram constantes.

Intervenção Militar

Faixas ou placas solicitando a intervenção militar chamavam a atenção. Em uma delas, havia a seguinte frase: “Socorro exército brasileiro. Intervenção já!”. O pedido de intervenção estava replicado em parabrisas de caminhões e carros, parados no acostamento da rodovia em apoio aos manifestantes, bem como diversos “Fora Temer”.

“Ele [presidente Temer] fez muito errado em querer baixar só o diesel. A gente não está pedindo que abaixe [o preço] só do diesel. É o gás, a cesta básica, a alimentação, é tudo o que o governo cobra sobre os produtos. Está demais os impostos sobre as mercadorias”, comentou o empresário Vinicius Pivatto, que estava no local em apoio aos caminhoneiros.

“Chega de governo corrupto. Está demais e o povo brasileiro não aguenta mais. Ninguém está trancando ninguém, nem apedrejando ninguém. A gente só quer os direitos do povo. Só isso”, comentou ao relatar que a intervenção militar se faz necessária. “Eles [os militares] têm que tirar os caras corruptos. Têm que entrar, arrumar o Brasil. Depois eles saem e fazem novas eleições com alguém que não tenha um processo político. Um ficha limpa”, relatou.

Gasolina na Aldeia

No início da tarde de ontem, ainda nem havia combustível na bomba, mas a fila para encher o tanque no posto Shell da parada 74 se estendia até a parada 72 da Avenida Dorival. Na parte da tarde o posto recebeu carregamento. Em outro posto, na parada 79, também havia grande fila para adquirir o produto.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *