Igreja Matriz celebra 90 anos de história | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Igreja Matriz celebra 90 anos de história

Igreja Matriz celebra 90 anos de história

Igreja Matriz 1

Igreja Matriz 2

Um dos mais belos templos católicos do interior do Estado sendo, além de referência religiosa, ponto de atração turística, a Igreja Matriz de Santo Antônio da Patrulha existente em pleno coração da Cidade Alta, celebrou domingo (25), noventa anos de sua fundação e 171 anos desde o começo de sua construção, que começou em 1847.
O Repórter da História e historiador Jaime Nestor Müller publicou interessante e valiosa reportagem que serve como referência histórica, sobre aquele templo. Ele é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santo Antônio da Patrulha:
“25/11/2018 – DOMINGO – um dia especial para a comunidade da Paróquia Santo Antônio. Exatamente hoje a nossa Igreja Matriz completa 90 anos de sua inauguração. Muitos hão de perguntar: “mas ela não é mais antiga”? Sim, a sua construção começou no longínquo ano de 1847, e como ela era demasiadamente grande para os recursos da comunidade à época, suas obras foram paralisadas no ano de 1849, ficando assim por 76 anos, semiacabada, com mais ou menos 60% da obra prontos. Toda a parte do arco do altar-mor para trás, incluindo a sacristia estava concluída, inclusive com o telhado. Também as paredes até a porta da frente, numa altura de mais ou menos três metros e meio (onde começam os vitrais hoje) estavam concluídas. Podemos afirmar então, com certeza, baseados em documentos oficiais, que a Igreja Matriz Santo Antônio tem hoje 171 anos desde o início de sua construção. Nos 76 anos da paralisação das obras, as missas eram celebradas em casas particulares, até o dia em que, com uma permuta por um terreno localizado na antiga Rua Direita, hoje Avenida Borges de Medeiros, foi construída uma igreja provisória, inaugurada no ano de 1853.
No mês de janeiro de 1925, foram reiniciadas as obras da atual igreja com o legado de R$ 30:000$000 (trinta contos de réis), deixado em testamento a favor da Paróquia Santo Antônio pelo professor Cândido Gomes de Barros e esposa Maurícia. Com o valor deste legado importante, a comunidade também se mobilizou e foi incansável na busca de recursos para a conclusão da igreja. O Padre Isidoro Rescka, pároco da época, foi o grande comandante dessa mobilização. O engenheiro responsável pela obra foi o Dr. Viterbo de Carvalho de Porto Alegre, que projetou a obra em duas “phases” e, pelo trabalho, ele recebeu durante o ano de 1925, em três parcelas, o valor de R$ 32:497$400 (trinta e dois contos, quatrocentos e noventa e sete mil e quatrocentos réis).
No dia 25 de novembro de 1928, ela foi inaugurada com uma missa solene, celebrada pelo Arcebispo metropolitano de Porto Alegre, Dom João Becker, juntamente com o pároco da época, Padre Isidoro Rescka.
Quando inaugurada, ela já tinha os vitrais, mas ainda não tinha a torre, que só foi construída no ano de 1929. Os sinos que lá estão foram trazidos da antiga igreja da Rua Direita (atual Borges de Medeiros), e são os mesmos ainda hoje. Eles são de 1911. O relógio foi doado pela firma “Casa Rosa, Araújo e Cia Ltda” de Porto Alegre, em 30 de junho de 1930, e instalado no dia 21 de setembro do mesmo ano. Ele foi fabricado pelo senhor Bruno Schwertner da cidade de Estrela/RS.
A porta principal, a mesma de hoje (2018), foi instalada no ano de 1932, até então era uma porta provisória. As escadarias da igreja iniciaram-se no ano de 1930, e foram concluídas no ano de 1932, bem como as calçadas da frente. A construção do altar-mor foi iniciada no ano de 1935, e inaugurado em março de 1937. As imagens que ali estão, de Santo Antônio e Sagrados Corações de Jesus e de Maria, também são da mesma época. A bonita Via Sacra foi adquirida com doações da comunidade no ano de 1935. A pia batismal é a peça mais antiga da igreja, pois é contemporânea da primeira capela (1760). As duas pias de água benta que estão na entrada da igreja, foram instaladas em 1931, e vieram da antiga igreja de Porto Alegre, e onde hoje é a Catedral Metropolitana.
A Igreja Matriz Santo Antônio é o único imóvel tombado como Patrimônio Histórico e Cultural de nosso município, pela lei nº 5973, de 07 de abril de 2010, aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo prefeito Daiçon Maciel da Silva.”
As fotos ilustram sua matéria, sendo umas do acervo do Museu Juca Maciel e outras, cedidas pela saudosa Corália Ramos Benfica.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *