Em Gravataí: Ministro Osmar Terra defende tolerância zero no combate às drogas | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Em Gravataí: Ministro Osmar Terra defende tolerância zero no combate às drogas

Em Gravataí: Ministro Osmar Terra defende tolerância zero no combate às drogas

No último sábado, a convite da Prefeitura de Gravataí e da Federação das Comunidades Terapêuticas do Rio Grande do Sul, o ministro da Cidadania e Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, palestrou sobre Políticas Públicas de Combate ao Uso de Drogas e Enfrentamento à Violência. O evento aconteceu no Centro de Eventos do Hotel Radar.
Segundo o ministro, o crime organizado não precisa de drogas ilícitas para se organizar, ele se organiza em cima de várias coisas, e que “hoje o tráfico de cigarro ilegal dá mais lucro do que a maconha para o crime organizado”. Terra cita que 40% do cigarro consumido no Brasil é do crime organizado.
O ministro usa o exemplo do Uruguai, comentando que lá a venda de drogas ilícitas ocorre nas “esquinas”, e que o país aumentou 45% o número de homicídios.
“Vivemos uma epidemia das drogas no Brasil. Legalizar a maconha vai aumentar o número de pessoas doentes e não vai reduzir a violência.” Contra a liberação, o ministro comenta que cerca de 25% da população é muito vulnerável à dependência química e que quem se torna dependente tem problemas para o resto da vida, explica Osmar Terra.
O ministro chama a atenção para a necessidade do pacto de tolerância zero às drogas. “Os únicos lugares que tiveram resultados extraordinários na redução de consumo de drogas não foi de quem liberou, mas de quem foi rigoroso na proibição e fiscalização. Nova York teve quase 3 mil homicídios em 1990, quando estava explodindo a epidemia do crack, com dezenas de cracolândias espalhadas pela cidade. A violência tomando conta. De lá para cá, o que aconteceu de diferente? A legislação americana aumentou o rigor. Implantou de fato a tolerância zero. Resultado disso é que o número de homicídios reduziu para 260. Tornando-se uma das cidades mais seguras do mundo”, explicou Omar Terra, ministro.
O Prefeito Marco Alba destacou a necessidade do fortalecimento das políticas públicas no combate às drogas. “A palestra de hoje [sábado] foi muito gratificante. Uma luz de esperança, pois o ministro demonstra conhecimento sobre o assunto com grande plenitude. Isso seguramente facilita na hora da execução. Município, Estado, União e a Sociedade Civil Organizada precisam estar unidas. Por isso é muito importante destacarmos o trabalho realizado pelas Comunidades Terapêuticas.
Exemplo disso é Gravataí, que tem o maior número de comunidades Terapêuticas do Estado, que desempenham uma missão admirável.”

Palestra Osmar Terra3

A realidade de Gravataí
O secretário Municipal de Saúde e Procurador Geral do Município, Jean Torman, explica que Gravataí, hoje, disponibiliza 50 vagas para pacientes de comunidades terapêuticas.
“Estamos em processo licitatório para mais 100 tratamentos. No Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), já cadastramos mais 10 mil atendimentos no nosso município, desde a sua implantação. Assim, concordo com as palavras do ministro, é sim uma epidemia. Ampliar as políticas públicas é indispensável neste momento”, afirma Jean.

Eles são exemplos de superação
Dependente químico de crack durante 12 anos, Saul Dorneles de Oliveira assistiu atentamente à palestra e contribuiu com depoimento de superação. “Na minha juventude realizei vários sonhos. Me formei marinheiro. Tive a oportunidade de conhecer diversos lugares deste mundo. No entanto, nada disso pôde me manter longe das drogas. O crack é uma droga muito potente. Mesmo eu tendo formação e uma família estruturada, não surtiu efeito com relação à minha dependência. Assim, acabei virando morador de rua. Até que fui resgatado ´por uma comunidade terapêutica, chamada amor ao próximo, na noite de 14 de setembro de 2018. Agora estou naquele reinício de vida. Voltando a ter contato com a família e sendo reinserido na sociedade”, explica.

Presenças
A mesa que deu início à solenidade de boas-vindas ao ministro Osmar Terra foi composta pelo Prefeito Marco Alba; primeira dama, Patrícia Bazotti Alba; comandante da Brigada Militar (BM) em Gravataí, major Luís Felipe Neves; secretária Municipal de Educação, Sonia Oliveira; o vereador Paulinho da Farmácia, na solenidade representando a presidência da Câmara de Vereadores de Gravataí; presidente da Federação das Comunidades Terapêuticas do RS, Roque Serpa; e o Presidente da Comunidade terapêutica Amigo em Cristo, Marcelo Lemos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *