Prevenção | Secretários de Saúde alertam para importância da imunização contra o HPV | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Prevenção | Secretários de Saúde alertam para importância da imunização contra o HPV

Prevenção | Secretários de Saúde alertam para importância da imunização contra o HPV

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 20 milhões de adolescentes brasileiros devem buscar os postos de saúde para receber a vacina contra a doença. | Foto: Ministério da Saúde/Divulgação

O Ministério da Saúde está convocando meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos para a vacinação contra o HPV. A expectativa do órgão é de que mais de 20 milhões de adolescentes brasileiros busquem os postos de saúde para receber a vacina. Em Gravataí e Cachoeirinha, as doses estão disponíveis na rede municipal de saúde. O HPV é um vírus que provoca verrugas na região genital e do ânus e pode causar câncer – dependendo do tipo de vírus. A infecção pelo HPV é considerada uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST).

O secretário de Saúde de Gravataí, Jean Torman, disse que a participação da comunidade é de extrema importância. “No caso do HPV, que é uma vacina nova, é imprescindível que os responsáveis tragam seus menores para receber as doses. Isso é fundamental para que, no futuro, tenhamos adultos livres da doença”, explicou.

Para o secretário de Saúde de Cachoeirinha, Paulo Eduardo da Silva Abrão, os adolescentes, muitas vezes, não se preocupam com os riscos da doença. “Por serem mais novas, as pessoas dessa faixa etária não atentam para essa questão. O HPV, em alguns casos, pode se tornar em algo mais grave. Por isso, é muito importante que as pessoas aproveitem essa oportunidade e venham se imunizar”, alertou o secretário.

A cobertura vacinal contra o HPV só é considerada completa quando as duas doses necessárias são aplicadas. Por este motivo, quem tomou a primeira dose deve voltar aos postos após seis meses. A vacina HPV protege contra vários tipos de cânceres em homens e mulheres. Em todo o mundo, dos 2,2 milhões de tumores provocados por vírus e outros agentes infecciosos, 640 mil são causados pelo HPV.

Para garantir a vacinação, o Ministério da Saúde informou que adquiriu 14 milhões de vacinas, em um investimento total de R$ 567 milhões. As pessoas que não estão na faixa etária citada pelo Ministério da Saúde podem ser imunizadas caso possuam indicação médica.

Baixa procura na região no ano passado

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 437 doses contra o HPV foram aplicadas em meninos adolescentes em 2017 durante a Campanha Nacional de Multivacinação em Gravataí. O número representa 47,71% de cobertura entre os 916 adolescentes que comparecem aos postos de saúde durante a mobilização. Em relação às meninas de faixa etária semelhante, foram 200 doses aplicadas, representando 21,83% de cobertura.

Em Cachoeirinha, 205 doses contra o HPV foram aplicadas em meninos adolescentes, representando 32,8% de cobertura, e 99 vacinas foram aplicadas nas meninas, com uma taxa de 15,84% de imunização. O número total de adolescentes que compareceram na Campanha no município foi de 625.

Onde se vacinar

Em Gravataí, a vacina está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Em Cachoeirinha, além das UBSs, as doses são aplicadas nas Estratégias de Saúde da Família (ESF). Os endereços dos postos de saúde podem ser consultados nos sites das prefeituras de Gravataí e de Cachoeirinha.

Prevenção e tratamento

Além das doses da vacina, as outras formas de prevenção à doença são o exame Papanicolau, para mulheres, e o uso de preservativo masculino ou feminino durante as relações sexuais. Já o tratamento das verrugas, localizadas na região genital e no ânus, consiste na destruição das lesões. Independente de realizar o tratamento, as lesões podem desaparecer, permanecer inalteradas ou aumentar em número e/ou volume. O tratamento pode ser domiciliar ou realizado no serviço de saúde – conforme indicação de um profissional.

Dados

Segundo estudo realizado no ano passado pelo projeto POP-Brasil, a prevalência estimada do HPV no país, na faixa etária de 16 a 25 anos, é de 54,3%. O estudo ouviu 7,5 mil pessoas nas capitais brasileiras. Os dados da pesquisa mostram, ainda, que 37,6% dos entrevistados apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer. O projeto POP-Brasil é uma parceria do Ministério da Saúde com hospitais, universidades e secretariais estaduais de Saúde do país.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *