Presos provisórios | DPPA sofre com superlotação | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Presos provisórios | DPPA sofre com superlotação

Presos provisórios | DPPA sofre com superlotação

Atualmente, 34 detentos estão presos temporariamente na delegacia | Imagem: RBSTV/ Reprodução

Devido à falta de vagas nos presídios da região, o número de presos em carceragens provisórias na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Gravataí, localizada no Parque dos Anjos, chegou a 34 nesta quarta-feira. Conforme o delegado André Pastoriza, os presos são acomodados em viaturas e também dentro das celas da Delegacia. “Os policiais civis cuidam das celas e Policiais Militares e Guardas Municipais acompanham as viaturas”, explicou.

Em entrevista, o responsável por todas as delegacias da Região Metropolitana, o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, delegado Fábio Motta Lopes, comentou os prejuízos dessa situação. “Além de policiais serem retirados da atividade-fim para cuidar de presos, vítimas estão desistindo de comunicar ocorrência em razão da presença desses presos”, afirmou.

O delegado André Pastoriza afirmou que a superlotação do espaço atrapalha a atuação dos profissionais da delegacia. “Os policiais acabam desempenhando funções de um agente penitenciário. Nós não temos condições sanitárias adequadas para atender esses detentos”, contou. Ainda de acordo com Pastoriza, a DPPA não recebe verbas para a alimentação e higiene dos detentos. Em Gravataí, os presos provisórios recebem alimentos de um albergue. “Em outras cidades, se o detento que estiver nessas condições não tiver um familiar que leve comida para ele, infelizmente, ficará sem alimento”, lamentou.

Nas celas, o banho é através de garrafas pet. Os detentos que estão nas viaturas são acompanhados pelos Policiais Militares até o banheiro, para um banho improvisado.

Tempo de permanência

Segundo o delegado, o tempo de permanência é variável. “Isso depende da facção do preso ou se ele possui condenação ou não. Houve um detendo que chegou a ficar preso provisoriamente por 30 dias. O mais antigo está conosco há 17 dias”, contou Pastoriza.

Mais vagas

Em junho, o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, confirmou a construção de três novos presídios, totalizando 924 vagas. Sartori informou que as penitenciárias serão construídas em Charqueadas, Viamão e Alegrete.

Violência em Gravataí

Uma reunião realizada nesta segunda-feira entre o secretário de Segurança do RS, Cézar Schirmer, o prefeito de Gravataí, Marco Alba, e demais autoridades decretou que uma força-tarefa da Brigada Militar e Polícia Civil vai intensificar as ações de combate aos homicídios e reforçará o policiamento em Gravataí. Durante o feriadão da Independência, nove pessoas foram mortas e outras nove ficaram feridas na cidade.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *