Caso dos primos carbonizados | Homem suspeito de participar de duplo homicídio é preso | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Caso dos primos carbonizados | Homem suspeito de participar de duplo homicídio é preso

Caso dos primos carbonizados | Homem suspeito de participar de duplo homicídio é preso

Delegacia de Homicídios de Gravataí confirma participação do suspeito no crime em que dois primos foram obrigados a cavar a própria cova. | Foto: Márcio Fernandes/ Reprodução

Um homem de 26 anos foi preso por tráfico de drogas nesta quarta-feira em uma casa localizada na Zona Rural de Santo Antônio da Patrulha. Segundo a Brigada Militar (BM), que efetuou a prisão, o homem também é suspeito de ter participado de um duplo homicídio ocorrido em Gravataí em agosto do ano passado. Na ocasião, dois primos foram obrigados a cavarem a própria cova, minutos antes de serem mortos.

Ainda de acordo com a BM, a corporação recebeu uma denúncia anônima dando conta de que havia tráfico de drogas em uma casa localizada na região. Na ação, a polícia encontrou 165 pedras de crack e cerca de R$ 860 em dinheiro. O suspeito foi encaminhado ao sistema prisional.

DPHPP confirma envolvimento de suspeito

A Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de Gravataí confirmou a participação do homem de 26 anos no caso dos primos carbonizados em agosto do ano passado. Conforme a Delegacia, ele possui antecedentes criminais.

Ainda de acordo com a DPHPP, outro homem suspeito de participar do caso já foi preso. Além dele, um menor foi apreendido e outro suspeito segue foragido.

O caso

No dia 28 de agosto de 2017, dois corpos foram encontrados no Loteamento Xará, em Gravataí. Na oportunidade, as vítimas foram identificadas como Wagner da Rosa, de 17 anos, e Victor da Rosa, de 22 anos – os dois eram primos.

Em um vídeo que circulou na internet, um dos indivíduos aparece cavando a cova onde seria enterrado. Em outra gravação, homens aparecem atirando nas vítimas – que já estão deitadas nos buracos. Após os disparos, os corpos são queimados. Segundo a polícia, a principal suspeita para o crime é a disputa entre facções.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *