Nova modalidade da Olimpíada de Matemática tem baixa adesão nas escolas da região | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Nova modalidade da Olimpíada de Matemática tem baixa adesão nas escolas da região

Nova modalidade da Olimpíada de Matemática tem baixa adesão nas escolas da região
Primeira edição do teste, chamado de Nível A, envolveu estudantes do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental público brasileiro. | Foto: EBC/Reprodução

Com o objetivo de estimular o estudo da Matemática no Brasil e de identificar jovens talentos, foi realizada nesta terça-feira, em todo o país, a 1ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) – Nível A. Diferente da Olimpíada de Matemática que é realizada desde 2005, que envolve estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e alunos dos três anos do Ensino Médio, esta nova modalidade é voltada para alunos de escolas públicas municipais, estaduais e federais que estão matriculados regularmente entre o 4º e o 5º ano do Ensino Fundamental. A organização da Obmep – Nível A estima que 1,5 milhão de estudantes de 20 mil escolas públicas brasileiras tenham realizado o teste.

Na região, a maioria das instituições visitadas pela reportagem do Grupo 2M não estavam aplicando a prova na tarde desta terça, como é o caso da Escola Municipal de Ensino Médio Santa Rita de Cássia, em Gravataí. “Geralmente nós recebemos material informativo, mas não foi o caso, desta vez. Não tivemos conhecimento deste novo nível e também não vi divulgações em propagandas de rádio e TV”, disse a supervisora da instituição, Jaqueline de Oliveira Pereira.

De acordo com a 28ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), responsável pelas escolas estaduais da região, 25 instituições de ensino de Gravataí e 14 de Cachoeirinha foram inscritas na competição. Questionada sobre a ausência de algumas instituições na prova, a 28ª CRE disse que, apesar de inscritas, algumas escolas não participam da prova. “As instituições que não aplicarem os testes devem escrever, em documento, a justificativa para a ausência”, informou o gabinete da coordenação. A Escola Estadual Ponche Verde, na Aldeia, afirmou que aplicou a prova para os alunos do 4º e 5º ano. A instituição, contudo, não aceitou receber a reportagem do Grupo do 2M na tarde desta terça.

Em relação às escolas municipais, a Secretaria Municipal de Educação (SMED) de Gravataí informou que “as escolas se inscreveram diretamente no site da Obmep, sem ter de passar pela SMED, e por isso não há um número calculado de instituições participantes”. Já a SMED de Cachoeirinha disse que, até à tarde de ontem, não possuía a relação de escolas municipais participantes.

A Obmep – Nível A foi organizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC). A reportagem fez contato com a assessoria de imprensa da Obmep, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

As provas

As provas, realizadas em fase única, foram compostas de 20 questões objetivas com 5 alternativas, sendo apenas uma correta. De acordo com a organização da prova, o conteúdo dos testes seguiu os parâmetros curriculares nacionais para alunos de 4º e 5º ano do Ensino Fundamental, com questões que privilegiam o raciocínio lógico e a criatividade. O tempo de resolução da prova foi de 1h30.

Nesta nova modalidade da Obmep, o Impa foi responsável por elaborar e disponibilizar o material de provas e de correção para as Secretarias de Educação e representantes das escolas federais, para que fossem distribuídos para as escolas inscritas. As Secretarias de Educação e os representantes das escolas federais foram responsáveis por toda a logística de aplicação e terão de corrigir as provas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *