Gasolina sobe novamente nesta sexta-feira; saiba como é feita a composição do preço | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Gasolina sobe novamente nesta sexta-feira; saiba como é feita a composição do preço

Gasolina sobe novamente nesta sexta-feira; saiba como é feita a composição do preço

De acordo com a Petrobras, a gasolina abastece atualmente cerca de 60% dos veículos de passeio no Brasil. | Foto: EBC

A partir desta sexta-feira, o preço médio da gasolina A, sem tributos, subirá para R$ 1,6105 nas refinarias. O reajuste, divulgado no site da Petrobras, faz parte da nova política de preços da estatal, anunciada em julho do ano passado. Desde então, os preços da gasolina e do diesel estão sendo alterados, às vezes, de um dia para o outro. A empresa afirma que a ideia é “repassar com maior frequência as flutuações do câmbio, do petróleo e, com isso, permitir maior aderência dos preços do mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo, dando condições de competir de maneira mais ágil e eficiente”. No início do mês passado, o preço médio do litro de gasolina ao consumidor final estava em R$ 4,212.

O presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do RS, Adão Oliveira, não concorda com o novo sistema adotado pela Petrobras. “Com essa política, a confusão é tão grande que nem os revendedores estão se entendendo. Isso não é bom para ninguém, mas é o critério que foi adotado”, comentou Oliveira.

Como é feita a composição do preço da gasolina

Sem título

 

Gráfico elaborado pela Petrobras a partir de dados da ANP e CEPEA/USP. Período de 18/02/18 a 24/02/18

De acordo com a Petrobras, o preço praticado ao consumidor é composto por três parcelas: realização do produtor ou importador, tributos e margens de comercialização. “No Brasil, esta margem de comercialização equivale às margens brutas de distribuição e dos postos revendedores de gasolina”, diz a estatal.

Ainda sobre a política de preço para a gasolina vendida às distribuidoras, a empresa afirma que “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

Mais de 43% em impostos

Nesta quarta-feira, a reportagem do Jornal de Gravataí abasteceu um veículo, com gasolina comum, em um posto de combustíveis localizado em um supermercado da Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira, em Gravataí. De acordo com a nota fiscal gerada, dos R$ 60 gastos, cerca de R$ 26,07 são destinados a tributos federais e estaduais. O valor representa mais de 43% do total abastecido.

Fiscalização

Conforme a Petrobras, os preços nos postos de todo o país são monitorados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) por meio de pesquisas semanais. Os resultados podem ser consultados no site www.anp.gov.br. Outras informações podem ser obtidas no sac@petrobras.com.br ou pelo telefone 0800 728 9001.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *