Cerca de 300 cervos do Pampas Safari são abatidos | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Cerca de 300 cervos do Pampas Safari são abatidos

Cerca de 300 cervos do Pampas Safari são abatidos

Ação teria ocorrido entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro, no interior do Estado. | Foto: Pampas Safari/Divulgação

Cerca de 300 cervos do parque Pampas Safari, de Gravataí, foram abatidos entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro, em Santa Maria do Herval, no interior do Estado. A informação veio à tona nesta quarta-feira, através do jornal Zero Hora. Questionado sobre o procedimento, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), responsável pela autorização do abate, não havia se manifestado até o fechamento desta matéria, no final da tarde desta quinta.

Em agosto de 2017, a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi) constatou um foco de tuberculose na área do Pampas Safari e recomendou o abate sanitário dos animais envolvidos. “A decisão foi tomada porque, em caso de ocorrência de tuberculose, a recomendação técnica é para que o abate sanitário seja efetuado visando a eliminação do foco e evitando o risco de contágio para outras espécies, inclusive seres humanos”, disse a Seapi em nota.

Durante o período, uma ação popular ajuizada pela deputada estadual Regina Becker Fortunati (PTB) suspendeu os sacrifícios. Posteriormente, a liminar de Regina foi derrubada pela Justiça. Neste ano, os proprietários do parque, favoráveis ao abate dos animais, encaminharam à Seapi documentos comprovando a queda de liminares que impediam a ação sobre os cervos. A partir disso, a Secretaria realizou a emissão do laudo sanitário e das Guia de Trânsito Animal (GTA), viabilizando o abate. “O procedimento foi realizado sob autorização do Ibama e seguiu todos os procedimentos normais de inspeção e de bem estar animal”, disse a Secretaria.

De acordo com o jornal Zero Hora, o empreendimento está fechado para visitação desde junho de 2016, quando o Ibama cancelou a licença de funcionamento devido a problemas listados em relatórios oficiais, indicando estrutura degradada no local.

Contraponto

Procurada pela reportagem do Grupo 2M, a deputada estadual Regina Becker Fortunati (PTB) disse que o abate dos animais não foi a melhor alternativa. “A gente não pode condenar os cervos à morte sem saber se todos estavam contaminados. Isso deveria ser analisado de uma forma melhor”, disse a parlamentar. Sobre uma eventual providência a ser tomada após os abates, a deputada disse que continuará com ações de conscientização. “Não temos muito que fazer, pois eles já estão mortos. Agora, vamos continuar a alertar a população sobre a importância do tema”, finalizou Regina.

Em julho, nota do Ibama apontou morte de animais por tuberculose

Em julho deste ano, o Ibama informou, através de uma nota técnica, que uma capivara e um camelo foram encontrados sem vida dentro da propriedade do Pampas Safari. Na época, o veterinário da Divisão de Defesa Sanitária Animal da Secretaria de Agricultura do Estado, Rodrigo Edges, disse que os casos encontrados não se tratavam de tuberculose humana.

Também em julho, o Ibama informou que 74 animais positivos para tuberculose foram encontrados no local até o ano de 2016. “Com certeza, o número de animais mortos por esta doença deve ser superior ao citado, pois, entre 2014 e 2017, não houve registro de necropsia realizada no parque. Além disso, foram encontradas carcaças de animais mortos e ossadas distribuídas pelo parque na vistoria realizada em janeiro de 2017”, disse o órgão na oportunidade.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *