Caso Três Estrelas | Polícia Civil já ouviu 12 testemunhas sobre ataque a tiros | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Caso Três Estrelas | Polícia Civil já ouviu 12 testemunhas sobre ataque a tiros

Caso Três Estrelas | Polícia Civil já ouviu 12 testemunhas sobre ataque a tiros

Crime ocorreu no dia 21 de julho. | Foto: Rodrigo Cassol/Arquivo/JG

Segundo delegado responsável pela investigação, polícia está perto de identificar um dos atiradores. Na última terça, clube de futebol anunciou que deixará disputa do campeonato.

A Polícia Civil já ouviu doze pessoas, entre vítimas e testemunhas, sobre o ataque a tiros ocorrido no dia 21 de julho na sede do clube Três Estrelas, em Gravataí. Conforme o delegado Eduardo Amaral, titular da Delegacia de Homicídios da cidade, a polícia está perto de identificar um dos dois atiradores envolvidos no crime. “Apesar de não encontrarmos nada de relevante nas imagens das câmeras de segurança que consultamos, alguns dos depoimentos ouvidos pelos policiais nos ajudaram na investigação”, disse o delegado nesta sexta-feira, sem revelar mais detalhes.

Segundo ele, a Polícia Civil trabalha com duas hipóteses para o ataque. “A primeira e mais provável é uma disputa entre duas facções, sendo uma da região onde o crime ocorreu e outra da Morada do Vale. Já a segunda linha de investigação indica um acerto de contas com uma das vítimas, que tinha saído do sistema prisional há pouco tempo”, contou Amaral.

Um dia após o crime, o titular da Delegacia Regional Metropolitana, Rodrigo Bozzetto, disse que os autores do tiroteio eram “provavelmente” ligados ao tráfico de drogas. “É possível que um grupo rival tenha vindo ao local em busca de dois alvos específicos”, disse na oportunidade. Até o início da tarde desta sexta, ninguém havia sido preso.

Três estrelas deixará a competição

Através de nota divulgada na última terça-feira no Facebook, o Grêmio Esportivo Três Estrelas anunciou que deixará a disputa do campeonato municipal Especial de Amadores. “Em respeito às vítimas, familiares, jogadores, diretoria e comunidade, comunicamos a saída do campeonato devido à tragédia ocorrida”, diz texto assinado pelo presidente do clube, conhecido como Didu.

Também na última terça, a Liga Gravataiense de Futebol (LGF) publicou uma nota informando que “o Três Estrelas, durante reunião, pediu afastamento da competição em razão dos tristes acontecimentos”. De acordo com a entidade, o presidente do clube afirmou que “não havia clima para a prática do futebol ou até mesmo para uma possível festa, caso o clube fosse campeão”.

Ainda na nota, a LGF disse que “com o apoio e o consentimento dos demais clubes da Especial de Amadores, deverá ser oficializada uma decisão de não rebaixar ninguém e, em 2020, o campeonato passaria a ter 12 clubes”, finaliza e entidade.

Uma pessoa segue em estado grave

Conforme atualização médica repassada pela assessoria de imprensa do Hospital Dom João Becker (HDJB) no início da tarde desta sexta, uma pessoa ainda estava internada no local – em estado grave. Das outras sete vítimas, cinco haviam sido liberadas entre os dias 21 e 22 de julho e outras duas receberam alta na última terça-feira.

O caso

No final da tarde do último dia 21, após partida envolvendo o Três Estrelas, dois homens chegaram a pé nas proximidades da sede da equipe, localizada na Parada 76, e efetuaram diversos disparos contra algumas pessoas que estavam no local. Na ocasião, uma mulher identificada como Maiara Emili Silveira da Silva, de 20 anos, foi morta. Ela não tinha antecedentes criminais. Além da jovem, outras oito pessoas ficaram feridas.

No dia seguinte ao atentado, a polícia encontrou, em uma área próxima à sede do clube, o corpo de Adélio Júnior Souza Antunes, de 28 anos, que também foi vítima do ataque. Os policiais acreditam que, além de Adélio, outro homem, que foi ferido durante os disparos, seja o alvo dos atiradores.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *