Violência contra a mulher | Número de estupros e lesões corporais diminui na região | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Violência contra a mulher | Número de estupros e lesões corporais diminui na região

Violência contra a mulher | Número de estupros e lesões corporais diminui na região
Dados foram divulgados pela Secretaria Estadual da Segurança Pública na última semana. | Foto: Polícia Civil

A divulgação dos indicadores criminais feita pela Secretaria Estadual da Segurança Pública, na última semana, trouxe boas notícias para os municípios de Gravataí e de Cachoeirinha no que diz respeito à violência contra a mulher. De acordo com os dados, o número de casos de estupros e de lesões corporais diminuiu nas duas cidades nos dois primeiros meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2018. Em Gravataí, quatro casos de estupro foram registrados nos meses de janeiro e fevereiro de 2019, contra 11 ocorrências no mesmo período do ano passado – o que representa uma diminuição de 63%. Em relação aos registros de lesões corporais, o município apresentou queda, no mesmo período, de 107 casos, em 2018, para 94 registros, neste ano. 

Para a coordenadora da Casa Lilás de Gravataí, órgão de apoio a mulheres vítimas de violência, nem todas as mulheres que procuram o local fazem registro em delegacias. “Aqui, nós procuramos dar o apoio necessário e mostras às vítimas quais são os seus direitos”, contou a psicóloga Analu de Jesus Sonego. Até esta segunda-feira, 45 mulheres já haviam procurado a Casa em 2019 para o primeiro atendimento. Já no primeiro trimestre do ano passado, 41 vítimas foram até o órgão. Para buscar o auxílio, que é gratuito, basta ir até o local de segunda a sexta, das 8h às 17h. A Casa Lilás fica na Rua Ernesto Fonseca, número 122, no Centro da cidade. Desde 2007, o local já realizou 4,9 mil atendimentos.

Em Cachoeirinha, o número de mulheres vítimas de lesão corporal baixou 20%, passando de 59 casos, no primeiro bimestre de 2018, para 47 registros, nos dois primeiros meses de 2019. Em relação aos estupros, um caso foi registrado entre janeiro e fevereiro deste ano, contra três ocorrências em igual período de 2018. Apesar das diminuições nos indicadores de estupros e de lesões, o número de mulheres vítimas de ameaças aumentou nos dois municípios no primeiro bimestre deste ano. Em Gravataí, as ocorrências cresceram de 159 (2018) para 169 (2019). Já em Cachoeirinha, os dados indicam crescimento nas ameaças de 71 casos, no ano passado, para 85, neste ano.

Homicídios crescem em Gravataí e se mantém em Cachoeirinha

O município de Gravataí registrou um aumento de 57,14% no número de homicídios nos dois primeiros meses de 2019. Entre janeiro e fevereiro deste ano, a cidade contabilizou 22 crimes deste tipo, contra 14 registros em igual período de 2018. O delegado Eduardo Amaral, titular da Delegacia de Homicídios de Gravataí, reconheceu que os dois primeiros meses do ano apresentaram um alto índice desses crimes.

“Notamos, sim, um número expressivo. Entretanto, o mês de março, até o momento, já apresenta uma queda nos indicadores”, disse Amaral. Questionado sobre as ações que serão tomadas, o delegado contou que a ideia da Delegacia é continuar investigando os inquéritos já instaurados. “Temos alguns pedidos de prisões que estão aguardando uma decisão do Judiciário. Acredito que, se essas prisões se concretizarem, isso irá gerar um impacto positivo em nossos números, pois algumas das solicitações se referem a criminosos contumazes”, explicou.

Em Cachoeirinha, os quatro homicídios registrados nos dois primeiros meses do ano passado foram igualados no mesmo período deste ano. Todos os indicadores criminais divulgados pelo governo do Estado estão disponíveis no site ssp.rs.gov.br.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *