R$ 0,48 em um mês | Preço da gasolina cai nas refinarias, mas motoristas não percebem diferença nos postos | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

R$ 0,48 em um mês | Preço da gasolina cai nas refinarias, mas motoristas não percebem diferença nos postos

R$ 0,48 em um mês | Preço da gasolina cai nas refinarias, mas motoristas não percebem diferença nos postos
Para economista, redução do valor nas refinarias não significa queda no preço aos consumidores. | Fotos: Rodrigo Cassol/JG 

Nos últimos dias, o preço do litro da gasolina comum nas refinarias baixou R$ 0,48. No dia 12 de outubro, o valor às distribuidoras era de R$ 2,14, enquanto que, nesta terça-feira, o preço era de R$ 1,66. Apesar disso, muitos motoristas de Gravataí e de Cachoeirinha não perceberam a redução do valor na hora de abastecer, como é o caso do aposentado Osvaldo de Lima, de 76 anos. “A gasolina estava muito cara. Resolvi passar um tempo sem abastecer para ver se o preço diminuía. Porém, não percebi mudança durante o período”, disse ele, que abasteceu seu veículo na tarde desta terça-feira, em Cachoeirinha. Assim como Lima, o aposentado Manoel Padilha da Silva, de 65 anos, acha que os preços não baixaram. “Está tudo igual”, reclamou.

WhatsApp Image 2018-11-13 at 17.59.44

O aposentado Osvaldo de Lima acha que o preço do combustível não foi alterado.

Um exemplo da manutenção dos preços pode ser observado em um posto de combustíveis localizado no pátio de um supermercado da Aldeia. Lá, o litro da gasolina comum se manteve em R$ 4,57 entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro. Procurada, a gerência do estabelecimento informou que não está autorizada a falar sobre o preço dos combustíveis. Apesar disso, o proprietário de um posto localizado em Cachoeirinha garantiu que as diminuições no preço realizadas pela Petrobras são sempre repassadas ao valor final. “Sempre acompanhamos as reduções realizadas pela estatal. Um exemplo disso é que já chegamos a vender o litro da gasolina comum a R$ 4,99. Hoje, está R$ 4,69”, contou Antônio Thiesen.

Sobre o assunto, a Petrobras informa que o valor pago pelo consumidor final não está sob gestão da estatal, e é composto por quatro fatores: preços do produtor ou importador de gasolina, carga tributária, custo do etanol obrigatório e margens da distribuição e revenda. “Nossa parcela é a primeira, referente ao preço do combustível em nossas refinarias. A carga tributária responde por parte relevante do preço final” diz nota no site da empresa. A Petrobras informa, ainda, que os demais agentes da cadeia de comercialização, como importadores, distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis, também influenciam na formação do preço final.

Redução de preço nas refinarias não significa baixa nos postos, diz economista

De acordo com o professor de Economia Gustavo Moraes, a redução do preço do combustível nas refinarias não implica, necessariamente, uma redução do valor nos postos. “Nesse caso, cria-se uma concorrência entre os estabelecimentos e os motoristas, e os dois lados vão ‘competir’ por essa redução. Como a gasolina é um item necessário e o consumidor precisa abastecer seu veículo, pelas mais variadas questões, ele acaba pagando o preço sugerido pelo posto”, explicou. Como dica, Moraes disse que o motorista precisa pesquisar os preços. “Isso tem que ser levado a sério pelo consumidor. Somente buscando o menor preço é que vamos colaborar para a redução dos valores”, finalizou.

Preços variam na região

Em visita a cinco postos de combustíveis nas cidades de Gravataí e Cachoeirinha na tarde desta terça-feira, a reportagem do Grupo 2M encontrou uma variação de preços para o litro da gasolina comum. O valor mais baixo encontrado foi de R$ 4,58, em um posto localizado na Parada 61 de Gravataí. Já o maior valor praticado – e mais comum entre os postos – foi de R$ 4,79.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *