Pedágio de Gravataí liberado | Principais vias da região registram diminuição de 10% no fluxo de veículos | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Pedágio de Gravataí liberado | Principais vias da região registram diminuição de 10% no fluxo de veículos

Pedágio de Gravataí liberado | Principais vias da região registram diminuição de 10% no fluxo de veículos
Número foi confirmado pelos secretários de Mobilidade Urbana de Gravataí e de Cachoeirinha nesta quarta-feira. | Foto: Rodrigo Cassol/ JG 

Após as cancelas da praça de pedágio de Gravataí serem levantadas no último dia 3 de julho, o fluxo de veículos das Avenidas Dorival Cândido Luz de Oliveira, na Aldeia, e Flores da Cunha, em Cachoeirinha, tem registrado uma baixa de 10%. De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana de Gravataí, Alison Silva, a mudança foi percebida visualmente. “Uma redução de 10% no fluxo da Dorival já havia sido percebida no ano passado, quando a tarifa do pedágio de Gravataí baixou para R$ 3,50. Agora, após a liberação do pagamento, a porcentagem de diminuição de veículos se repetiu”, explicou Silva. Segundo ele, cerca de 50 mil veículos transitavam diariamente pela Avenida antes da liberação do pagamento do pedágio.

Em Cachoeirinha, de acordo com o secretário de Mobilidade Urbana da cidade, Marco Aguirre Gouvêa, a porcentagem de diminuição no fluxo de veículos que transitam todos os dias pela Flores da Cunha é a mesma. “Essa redução, de cerca de 10%, foi notada desde o primeiro dia após a mudança. Algumas pessoas já afirmavam que era mais vantajoso utilizar a Freeway ao invés da nossa Avenida, por questões de economia de combustível e também de tempo. A Freeway é uma rodovia mais organizada e mais rápida. Então, acredito que as pessoas têm optado em andar mais por ela”, disse Gouvêa. Segundo contagem da Secretaria de Mobilidade, atualmente 26 mil carros passam pela Flores da Cunha todos os dias.

Para o frentista Fábio Júnior Batista, que trabalha em um posto de combustível localizado na Flores da Cunha, a diminuição no trânsito foi muito grande. “Eu acredito que seja em torno de 30%. Trabalho das 8h às 20h, todos os dias, e posso garantir que o movimento está bem menor – inclusive aqui no posto”, contou.

Passageiros de ônibus não perceberam mudança

WhatsApp Image 2018-07-11 at 18.26.09Apesar da diminuição apontada pelos secretários, o auxiliar de produção Diego Oliveira, de 28 anos, afirma que não percebeu alterações no trânsito durante as vezes que usou o transporte público na Flores da Cunha nos últimos dias. “Acho que a liberação do pedágio ainda é muito recente. Pelo menos nos horários de pico, que é quando uso o transporte, não percebi nenhuma alteração”, disse ele, que utiliza o transporte coletivo cerca de três vezes por semana.

A funcionária dos Correios Ivete Cortes, de 54 anos, concorda que, para os usuários de ônibus, não houve mudança. “Utilizo o coletivo todos os dias. Para mim, o pior horário é entre 7h e 8h. Mas a situação para os passageiros continua ruim de um modo geral”, reclamou.

Preocupação com a manutenção da Freeway

O Movimento de Livre Acesso à Freeway se manifestou, no último dia 4, sobre a liberação das cancelas na rodovia. Através de nota, publicada em redes sociais, a entidade afirma que está preocupada com a manutenção da via. “Muito nos preocupa os efeitos relativos à manutenção da via durante este período de transição, pois tal garantia compete ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Por essa razão, estamos estudando meios de pressionar e fazer cumprir a responsabilidade assumida previamente pelo Governo Federal”, diz o texto.

Além disso, a entidade afirma que esteve reunida para avaliar algumas situações e definir os próximos passos a serem tomados. “Em pauta, estiveram os impactos positivos do livre acesso à via, como a melhora no fluxo de veículos na Flores da Cunha, a transferência do pedágio para local próximo à General Motors (GM), em Gravataí, e a construção de mais três acessos para a Freeway”, finaliza o texto, assinado pela coordenação do movimento.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *