Levantamento | Litro da gasolina comum chega a R$ 4,79 na região | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Levantamento | Litro da gasolina comum chega a R$ 4,79 na região

Levantamento | Litro da gasolina comum chega a R$ 4,79 na região
Valor foi observado em cinco de nove postos de combustíveis visitados pela reportagem do Jornal de Gravataí nesta quinta-feira. Petrobras anunciou novo aumento já para esta sexta. | Foto: Jornal de Gravataí

Um levantamento feito nesta quinta-feira pela reportagem do Jornal de Gravataí em nove postos de combustíveis das cidades de Gravataí e de Cachoeirinha apontou que o valor de R$ 4,79 pelo litro da gasolina comum é o mais praticado entre os estabelecimentos das duas cidades. O valor foi observado em três postos da Aldeia, localizados na Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira, e em dois estabelecimentos de Cachoeirinha – nas proximidades da Parada 59. O menor valor encontrado para o litro da gasolina comum durante a pesquisa foi de R$ 4,59, em um posto localizado dentro de um supermercado de Gravataí.

Nesta quinta, a Petrobras anunciou um aumento de R$ 0,02 para o litro da gasolina nas refinarias. A elevação entrará em vigor já nesta sexta-feira. De acordo com informações da Agência Brasil, o valor subiu R$ 0,33 nos últimos 30 dias. O preço atual da gasolina nas refinarias, já considerando o aumento, é de R$ 2,25. O diesel, entretanto, permanece com o preço de R$ 2,29 desde o dia 31 de agosto.

O motorista de aplicativos de transporte individual Marlos Mendonça, de 43 anos, disse que sente no bolso os constantes aumentos no combustível. “O preço da gasolina tem subido seguidamente. Posso observar isso porque trabalho de carro o dia todo”, contou. Já o frentista Luis Cruz, de 36 anos, considera o preço como “horrível”. “O valor praticado tem sido muito caro, mas as pessoas não têm outra alternativa”, lamentou.

De acordo com a Petrobras, a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias.

“A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos – como volatilidade do câmbio e dos preços”, explicou a estatal em nota enviada à Agência Brasil.

Composição do preço

Atualmente, o preço da gasolina é composto por impostos (44%), pelo valor da realização do produto na Petrobras (35%), pelo custo do etanol anidro (11%) e pelo valor da distribuição e revenda (10%). O cálculo é baseado nos preços médios de 13 capitais e regiões metropolitanas brasileiras. O período de coleta das informações é de 2 a 8 de setembro de 2018.

Os cálculos são elaborados pela Petrobras a partir de dados da Agência Nacional do Petróleo e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (USP).

Especialista alerta para impacto no preço dos demais produtos

Conforme o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, a alta no preço da gasolina tem impacto direto no valor dos demais produtos consumidos pela população. “Grande parte é transportada por caminhões movidos a diesel, sem contar no possível aumento dos preços dos serviços de transporte, como táxis e ônibus”, disse. Para ele, a saída é considerar outras formas de transporte para economizar combustível.

Confira dicas para economizar combustível

– Analise a necessidade de fazer tudo com o carro

– Alterne o uso do carro com o transporte público

– Ofereça e pegue caronas com familiares, amigos e colegas de trabalho sempre que possível

– Dirija com consciência – algumas ações geram maior consumo de combustível, como trocar de marcha na velocidade inadequada

– Mantenha os pneus calibrados

– Mantenha o carro sempre revisado

* Fonte: Abefin




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *