Grupo CCR vence licitação e vai assumir a freeway em fevereiro | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Grupo CCR vence licitação e vai assumir a freeway em fevereiro

Grupo CCR vence licitação e vai assumir a freeway em fevereiro

Nesta quinta-feira, o grupo CCR arrematou a concessão da Rodovia de Integração do Sul (RIS), que compreende, além da Freeway, as BRs 101, 386, e 448 pelo período de 30 anos. O valor da Tarifa Básica de Pedágio vencedora foi de R$ 4,30545 um deságio de 40,53 % em relação ao da tarifa-teto, R$ 7,24. A assinatura do contrato de concessão está prevista para o início de janeiro e o início das operações do consórcio deve ocorrer em fevereiro.

Segundo o Ministério dos Transportes, a empresa terá que fazer investimentos da ordem de R$ 7,8 bilhões. Durante o prazo de concessão, ele será responsável pela exploração da infraestrutura e prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade dos 473,4 quilômetros.

PEDÁGIO A PARTIR DO 19º MÊS APÓS INÍCIO DOS TRABALHOS

Serão sete praças de pedágios, distribuídas entre as BRs 101, 290 e 386. Segundo o Ministério dos Transportes, as praças começam a realizar a cobrança a partir do 19º mês de concessão, nas duas direções. Para os municípios, estima-se um retorno de Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN) de cerca de R$ 1,3 bilhão ao longo dos 30 anos de concessão.

ATENDIMENTO AO USUÁRIO

O trecho concedido contará com sete postos de atendimento aos usuários, distribuídos ao longo de toda a rodovia. Serão 10 ambulâncias, 4 UTIs móveis, 13 guinchos leves, 4 guinchos pesados, 3 caminhões-pipa, 7 veículos de inspeção de trânsito, entre outros, disponíveis aos usuários.

O LEILÃO

Realizado na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), o leilão recebeu cinco propostas de empresas interessadas na primeira concessão rodoviária do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal. A sessão teve início às 10h30 e, em seguida, foram abertas as propostas econômicas escritas de cada grupo.

A primeira proposta foi da empresa Ecorodovias Concessões e Serviços S.A com uma oferta de tarifa de R$ 4,55941. Em seguida foi o Consórcio Sacyr RIS com um lance de R$ 5,25389, e, depois da empresa Infraestrutura Brasil Holding II S.A, representada pela MIrae Asset Wealth Management, com lance de R$ 4.43570 e por último, o pronente Consorcio Integrasul com um valor de R$ 5,27000.

INVESTIMENTO

o Programa de Exploração Rodoviária (PER) traz a duplicação obrigatória de 225,2 quilômetros até o 18º ano do prazo da concessão. Isso resultará na duplicação integral da rodovia. Além disso, serão executados 78,8 quilômetros de faixas adicionais para ampliação da capacidade. Também está prevista a construção de 85 novos dispositivos de interconexão, 32 passarelas de pedestres, 75,5 km de vias marginais, 59 melhorias em acessos, assim como a iluminação nas travessias urbanas e nas vias marginais.

Além destas obras obrigatórias, a ANTT poderá solicitar a execução eventual de diversas melhorias (vias marginais, interconexões, passarelas) ao longo da execução contratual, caso necessário, na forma de um estoque de melhorias disponível para tanto.

Infografico-leilao-RIS-2_Prancheta_1_2




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *