Cachoeirinha | Servidor morre após contaminação por leptospirose em local de trabalho, diz Sindicato | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Cachoeirinha | Servidor morre após contaminação por leptospirose em local de trabalho, diz Sindicato

Cachoeirinha | Servidor morre após contaminação por leptospirose em local de trabalho, diz Sindicato

Complexo de Serviços está localizado no bairro Morada do Bosque. | Foto: Prefeitura de Cachoeirinha

Hospital Padre Jeremias, onde o motorista foi internado, ainda não confirma a causa da morte. Prefeitura interditou o local e solicitou dedetização.

O Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha (SIMCA) informou nesta quarta-feira que o servidor Nelson Foleto Bordim, que atuava como motorista da prefeitura desde 2007, morreu no último dia 5 de fevereiro após contaminação por leptospirose – que é uma infecção transmitida pelo contato com a urina de animais infectados, principalmente roedores, pela bactéria leptospira. De acordo com o SIMCA, o servidor teria contraído a doença no Complexo de Serviços da prefeitura, que abriga a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos e parte dos serviços da Secretaria de Segurança e Mobilidade. O local fica na Rua José Antônio Lutzenberger, no bairro Morada do Bosque.

Conforme o Sindicato, o motorista apresentou febre alta e foi levado para atendimento no Hospital Padre Jeremias, em Cachoeirinha. A casa de saúde confirmou que o servidor ficou internado entre os dias 3 e 5 de fevereiro. Em nota, o SIMCA disse que, nos 20 dias que antecederam a morte do motorista, ele foi realocado no Complexo de Serviços da prefeitura. “Em visita ao local, dois dias após o falecimento do servidor, foi constatado e registrado, através de fotos tiradas no Complexo, a existência de uma enorme quantidade de fezes de ratos por todo o ambiente, além de ser percebida a presença de ratos no recinto”, diz parte do texto, publicado no Facebook.

Ainda de acordo com a nota, “desde 2017 a entidade vem cobrando do governo uma providência em relação ao local insalubre, que não tem condições de uso por parte dos servidores que lá se encontram”. Além disso, o SIMCA disse que “é necessário que seja disponibilizado um lugar adequado onde o servidor possa fazer suas refeições e seus intervalos com qualidade e segurança, prezando pela saúde”.

De acordo com o presidente do Sindicato, Manoel Araújo Neto, a entidade irá procurar o Ministério Público (MP). “Vamos protocolar no MP um pedido de investigação até o final desta semana. Também iremos enviar um ofício à prefeitura pedindo uma inspeção no local”, informou. Segundo ele, cerca de 200 pessoas circulam diariamente pelo complexo. “Dessa vez a vítima foi o Nelson, mas poderia ter sido outras pessoas também”, finalizou Manoel.

Causa da morte ainda não está confirmada

Segundo a administração do Hospital Padre Jeremias, o diagnóstico de internação do paciente foi de hemorragia digestiva. Ainda conforme a casa de saúde, Nelson apresentou sintomas de leptospirose, mas a instituição ainda aguarda o resultado de um exame para poder afirmar a causa da morte.

O que diz a prefeitura

De acordo com o secretário de Governança e Gestão de Cachoeirinha, Juliano Paz, o governo já tinha tomado providências em relação ao Complexo. “Os refeitórios estão em condições ideais. Porém, nós descobrimos que alguns servidores construíram uma cozinha improvisada e, por isso, inadequada. A prefeitura não tem como fiscalizar todo mundo, e os servidores precisam ser responsáveis pelo local em que fazem suas refeições”, disse o secretário, que lembrou que ainda não há uma comprovação de que a doença tenha sido contraída no local.

Segundo ele, novas medidas foram tomadas após a morte do servidor. “Como há um risco, interditamos a área e solicitamos uma dedetização e uma limpeza do local. Entretanto, reitero que os servidores já têm um local adequado para as refeições”, disse o secretário. Sobre as denúncias do Sindicato que ocorrem desde 2017, Paz informou que a situação foi resolvida dias após a reivindicação do SIMCA.

Em nota enviada pela sua assessoria de imprensa, a prefeitura de Cachoeirinha disse que “a Vigilância Ambiental do município esteve no Complexo nesta quarta-feira, onde fez uma inspeção e não encontrou sinal de roedores. O biólogo responsável pela investigação também foi até a casa do servidor, mas encontrou o local fechado. O trabalho será retomado nesta quinta, quando deverá ser divulgado o laudo”, diz o texto.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *