Cachoeirinha | Projeto oferece o ensino de música a alunos da rede municipal | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Cachoeirinha | Projeto oferece o ensino de música a alunos da rede municipal

Cachoeirinha | Projeto oferece o ensino de música a alunos da rede municipal

Ação é destinada a alunos do 1º ao 9º ano. | Fotos: Rodrigo Cassol/JG

Atualmente, cerca de 1,5 mil estudantes participam de aulas gratuitas de canto, violão, violino e flauta.

Cerca de 1,5 mil alunos da rede municipal de ensino de Cachoeirinha estão participando do projeto Canta e Encanta Minha Gente, que oferece aulas gratuitas de canto, violão, violino e flauta doce nos turnos da manhã e da tarde das instituições. De acordo com o coordenador do projeto, Edimilson Tresoldi, as oficinas foram ampliadas no mês de março. “Esse é um projeto que existe há bastante tempo. Porém, ele estava enfraquecido. A partir disso, a prefeitura fez uma licitação, no ano passado, com o intuito de oferecer essas aulas musicais em todas as escolas municipais”, explicou Tresoldi, que é funcionário da Fundação La Salle – empresa vencedora da licitação. Ao todo, a ação conta com 84 oficinas semanais, que acontecem em pelo menos 18 escolas da rede municipal.

Para a estudante Lavínia Martins, de 13 anos, a oficina é uma chance de aprender a tocar um novo instrumento. “Eu participo das aulas de violão e de canto. Como eu já tinha algumas noções básicas de canto, resolvi aperfeiçoá-las para poder tocar e cantar”, disse a aluna do 8° ano da Escola de Ensino Fundamental Dagmar de Lima Mucillo. Segundo o coordenador, as atividades têm duração de 1h30. “Além do instrumento em si, nas aulas a gente consegue trabalhar fundamentos da música, conceitos e também um pouco de teoria musical, que é importante para a formação do aluno”, explicou Tresoldi. As oficinas ocorrem sempre no turno inverso das aulas dos alunos, cada uma com seu respectivo dia e horário. Ao todo, nove professores integram o projeto.

WhatsApp Image 2019-04-17 at 17.46.20

Na Escola Dagmar Lima Mucillo, quatro oficinas são realizadas semanalmente.

Na Escola Dagmar de Lima Mucillo, visitada pela reportagem do Grupo 2M nesta quarta-feira, quatro oficinas são realizadas por semana – duas de canto e duas de violão. Contudo, em escolas maiores, o número de aulas de música pode chegar a dez. “Sempre trabalhamos nas escolas com duas modalidades diferentes em cada turno”, explicou Edimilson. Para participar, os interessados devem estar matriculados entre o 1º e 9º ano em uma das escolas municipais de Cachoeirinha. “É preciso apenas manifestar o interesse, pois este é um projeto de caráter inclusivo, que não exige seleção”, finalizou o coordenador.

De acordo com a prefeitura de Cachoeirinha, a ideia é que o projeto tenha 100 oficinas, atendendo cerca de 1,8 mil alunos. O contrato assinado para a ampliação do projeto estará em vigor até o mês de março de 2020, podendo ser prorrogado por, no máximo, quatro vezes. “A ação faz parte de uma ideia de trabalhar o turno inverso nas escolas, pois sabemos que muitas crianças ficam sem ocupação no período em que não estão estudando. Portanto, este projeto também tem o intuito de manter esses estudantes ocupados, além de desenvolver o gosto pela música nessas crianças”, lembrou o prefeito do município, Miki Breier.

Ensino além dos instrumentos

Segundo o coordenador do projeto, as aulas possuem diversos benefícios aos alunos. “O ensino da música proporciona uma série de outros elementos. Além do puro aprendizado do instrumento, essas crianças vão melhorar muito a questão da concentração, do raciocínio, da memorização, da disciplina e, também, da autoestima, pois poderão participar de apresentações musicais no futuro”, disse Tresoldi.

Na mesma linha, a coordenadora de projetos da Secretaria de Educação de Cachoeirinha, Nara Prates, destacou o envolvimento dos alunos. “Além da música, as oficinas estão despertando neles o gosto pelo conhecimento”, contou. Segundo ela, há até uma fila de espera para participar do projeto. “A procura tem sido muito grande, e isso tem nos deixado com orgulho”, completou.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *